21 de Outubro de 2020

Patrimônio Cultural é tema de evento online no estado do Amazonas

Os dez anos do registro do Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro é um dos temas da Semana do Patrimônio Cultural 2020, realizada entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia vinculada ao Ministério do Turismo e à Secretaria Especial da Cultura. Buscando envolver a comunidade amazonense em ações de preservação ao Patrimônio Cultural no estado, o evento gratuito será composto por uma programação online, transmitida ao vivo e acessível em celulares, tablets e computadores.

O Patrimônio Cultural do Amazonas se estende por vários municípios do estado. É formado por edificações tombadas, como as do Centro Histórico de Manaus, mas também por manifestações culturais registradas, a exemplo do Complexo do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins e da Cachoeira Iauarautê, além dos sítios arqueológicos protegidos pelo Iphan. Esses são os eixos que vão nortear a programação da Semana do Patrimônio. Previsto para ocorrer presencialmente, o evento foi adaptado por conta da situação de emergência em saúde pública decorrente da pandemia do coronavírus.

“Queremos contribuir com a disseminação do conhecimento sobre o Patrimônio Cultural no Amazonas, fomentando a integração das dimensões materiais e imateriais”, declarou a superintendente do Iphan-AM, Karla Bitar. “Essa é uma forma de trazer a população para debater o tema. A preservação e a divulgação do Patrimônio Cultural dependem fundamentalmente da comunidade, que vive diariamente a cultura do Amazonas.”

No primeiro dia da Semana do Patrimônio, às 16h30, ocorre a palestra “Instituição de guarda e o acervo arqueológico e paleontológico do Museu da Amazônia (Musa)”, que contará com participação do arqueólogo Iberê Fernando de Oliveira Martins. Já no dia 1º, às 17h, será promovida palestra sobre o restauro da antiga Câmara Municipal de Manaus – Centro de Arqueologia de Manaus, proferida pelo arquiteto Almir de Oliveira, coordenador técnico da Comissão Especial Manaus Histórica da prefeitura de Manaus (AM). (Assista no canal do Iphan no YouTube)

Por fim, no dia 2, o encerramento da semana terá mesa-redonda sobre os dez anos do registro do Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro – conjunto de práticas e saberes relativos ao cultivo de plantas e relações sociais em torno do roçado da mandioca, que reúne 22 povos indígenas do rio Negro. A mesa contará com três participantes: a professora e mestre em Artes Visuais, Ilma Fernandes Neri, indígena do povo Piratapuia; a historiadora Natália Brayner, coordenadora de apoio aos bens registrados do Iphan; e a professora Laure Emperaire, pesquisadora do Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento, do governo francês.

Whatsapp

ÚLTIMOS POSTS

Galeria

Suba 100: mountain bike no Vale do Jiquiriçá
Pensou em praia? Veja algumas das mais bonitas
Ver todas as galerias

Eu fui!