25 de Setembro de 2018

Cachoeira do Buracão: planeje-se para um dos melhores passeios da Chapada

Com tanta beleza natural, fica difícil listar os melhores passeios da Chapada Diamantina. Longe de querer problematizar, certeza é que a Cachoeira do Buracão está entre as principais atrações da região. O nome não é nenhum exagero: a cachoeira realmente fica em um grande buraco esculpido em meio às pedras. As rochas formam um lindo cânion, que começa estreitinho e desemboca na queda d’água. 

Se só a descrição não for o suficiente, permita-se ser convencido por uma imagem. Só de ver já dá pra sentir a força das águas, né? Imagine ir flutuando e ser levado pela correnteza abaixo até encontrar uma queda majestosa. Pois é a essa experiência que o Buracão te convida. 

Cachoeira do Buracão: queda d'água de 85m 
(Foto: reprodução Flickr Paco Pomares) 

 

O principal acesso ao banho geladíssimo na cachoeira requer vestir um colete e pular na água, se permitindo flutuar até o poço. A correnteza vai depender da época do ano e da força das águas. O verão costuma ser a temporada de chuva e de setembro a novembro a seca impera. 

 Uma vez no poço, dá pra subir em algumas pedras, descansar um pouco e até se posicionar atrás da queda d’água. Não se preocupe, o guia toma outro caminho e mantém a salvo seu kit turista. 

Mas até se defrontar com a imensidão de águas, haja chão a percorrer. O Buracão fica na área do Parque Natural Municipal do Espalhado, a 28km de Ibicoara, município mais ao sul da Chapada. O trecho é de estrada de terra, o que requer paciência... mas nada que um carro pequeno não transponha, sem percalços. 

Se você quer começar a trilha cedo, é melhor se hospedar na cidade ou nos vilarejos próximos, como Mundo Novo, Brejão e Baixão. Se escolher Ibicoara, só não vá esperando a estrutura de Lençóis (a cerca de 250 km) e Mucugê (a 82 km), principais centros turísticos da região. Por lá, encontrará o charme de cidade pequena, assim como menos opções. Se optar por ficar mais longe, saiba que terá que sair cedo. O mais indicado é chegar na Cachoeira do Buracão por volta do meio dia, quando o sol ilumina o cânion e deixa a água menos fria para o banho. 

Flutuar no cânion é um dos grandes baratos do passeio 
(Foto: reprodução Flickr Paco Pomares) 

Dá para chegar até o parque de carro particular ou então em excursões, contratadas nas cidades. Para fazer a trilha, é obrigatório contratar um guia do município. A Associação dos Condutores de Visitantes de Ibicoara (ACVIB) reúne os guias qualificados para fazer o passeio com você. O ideal é fazer contato antes, pelo telefone (77) 3413-2358 ou pelo email acvibicoara@hotmail.com. Dependendo do tamanho do grupo, o custo do guia sai em média entre R$ 35 e R$ 40 por pessoa. 

Para ter acesso ao parque, paga-se uma taxa de R$ 6, na portaria, que fica bem antes do estacionamento dos carros. Por lá, você encontra uma estrutura com banheiro e só. O parque não tem lanchonete ou restaurante, por isso é essencial levar algo para lanchar e, além disso, reservar um local para comer, na volta. O guia pode te ajudar nisso e também indicando sobre o que levar na mochila, se a previsão for de chuva ou sol de rachar. Acontece também da cachoeira ser interditada em épocas de muita chuva.


O caminho até a Cachoeira do Buracão é fácil de ser percorrido. São 3 km seguindo o rio. A maior parte do trajeto é plano, passando pelas cachoeiras do .Buracãozinho (que só pode ser avistada), Orquídeas e Recanto Verde (nessas dá para tomar banho).  Só quando já estiver se aproximando da queda d’água, você encontrará descidas e escadas. Há ainda dois mirantes, um na ida e outro na volta. 

Se ligue!

Ibicoara fica a cerca de 462 km de Salvador, via BR-324, BR-116, BA-046, BA-245 e BA-131. 
A distância é um pouco maior via BR-324, BR-116, BR-242, BA-142 e BA-900. 

Whatsapp

Galeria

Suba 100: mountain bike no Vale do Jiquiriçá
Pensou em praia? Veja algumas das mais bonitas
Ver todas as galerias

Eu fui!