17 de Outubro de 2018

Conheça o Espaço Cultural da Barroquinha, templo afrobaiano

Quem chega à Praça Castro Alves, no Centro Histórico de Salvador, tem de um lado o marzão da Baía de Todos os Santos e do outro um pequeno declive. Basta espichar o olhar para ver despontar ao fundo duas torres de igreja e um local encantador para visitar. A antiga Igreja de Nossa Senhora da Barroquinha, construída em 1726, hoje abriga um espaço cultural, onde renasce, sobretudo, a cultura afrobaiana. 

Espaço Cultural da Barroquinha: templo da cultura afro
(Foto: Reprodução/Instagram bolivarnck)

 

É que, além de templo católico, o local tem grande importância para as religiões de matriz africana. A Barroquinha foi sede da Irmandade do Senhor Bom Jesus dos Martírios, formada por escravos, em 1764, e também foi usada pela Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, grupo tradicional, que posteriormente se transferiu para Cachoeira, no Recôncavo. 

Um pouco depois, no início do século 19, um terreiro de candomblé passou a funcionar anexo à igreja. Tudo isso confere à Barroquinha uma grande riqueza histórica. Depois de ser abandonado no século 20, o lugar foi restaurado em 2009 e passou a funcionar como centro cultural.

Nave da Igreja recebe espetáculos artísticos e eventos de formação
(Foto: Jefferson Peixoto / Secom / Divulgação)

 

No Espaço Cultural da Barroquinha, as paredes cruas com tijolinhos e iluminação baixa são um convite a verdadeiras viagens no tempo. A nave da igreja recebe espetáculos de teatro, dança e música, além de cursos e palestras. Exposições também são realizadas na Galeria Juarez Paraíso. Por vezes, no pátio e escadaria da igreja também são realizados eventos, que costumam ser frequentados por um público mais alternativo. 

Exposição Orixás da Bahia: em cartaz até 30 de junho
(Foto: Jefferson Peixoto / Secom / Divulgação)

 

Vale a pena dar uma olhada na programação cultural da cidade para ver se rola incluir no roteiro algum evento artístico por lá. Até 30 de junho, acontece a exposição  Orixás da Bahia, que reúne 16 estátuas. Em tamanho natural de divindades africanas, elas esculpidas em papel marchê pelo artista plástico Alecy Azevedo (in memorian), criada em 1973 por D. Elyette Magalhães (in memorian). A visitação é gratuita, de quarta a domingo, das 14h às 19h. 

Por lá, você também pode conhecer o Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha e o Teatro Gregório de Mattos. Se comércio popular com requintes regionais for a sua, aproveite para fazer compras nas lojas de couro da Barroquinha. Os preços costumam ser ótimos para sandálias, bolsas e carteiras. 

Se ligue!
Espaço Cultural da Barroquinha
Visitação gratuita, quarta a domingo, 14h às 19h
Ingressos para eventos têm preços variados

Whatsapp

Galeria

Suba 100: mountain bike no Vale do Jiquiriçá
Pensou em praia? Veja algumas das mais bonitas
Ver todas as galerias

Eu fui!