17 de Outubro de 2018

Do sagrado ao profano: conheça os pontos imperdíveis da Festa de Iemanjá, do dia 1º ao dia 2

Como já dizia Caymmi, “Dia dois de fevereiro , Dia de festa no mar”. E em Salvador essa festa tem endereço certo: o Rio Vermelho. Além de ser o bairro mais boêmio da cidade, o Red River (em bom inglês-baianês) é conhecido pela colônia de pescadores que realiza a tradicional entrega de presentes à Iemanjá.

2 de fevereiro é dia de saudar Iemanjá no Rio Vermelho
(Foto: Reprodução Flickr Amanda Oliveira GovBa) 

 

Como o baiano adora curtir o verão e suas festas populares, na verdade as celebrações começam mesmo no dia 1º. Odoya! Por isso, se quiser aproveitar a festa de rua mais charmosa da cidade em sua inteiriça, se planeje para abrir os trabalhos no RV na noite de 1º de fevereiro e voltar no dia 2.

Colônia de Pescadores é o grande ponto de encontro
(Foto: Reprodução Flickr Rafael Martins Agecom) 

 

Se tiver pique, vale o virote regado a banho de mar. Para você não comer mosca e deixar nada interessante passar – seja sagrado, seja profano -, listamos abaixo pontos imperdíveis da Festa de Iemanjá. Se ligue, vá!

 

O lado sagrado


(Foto: Reprodução Flickr Clarissa Pachecho)

 

Pra começar…
O costume manda vestir branco, mas tem gente que usa azul e outras cores. Na hora de comprar as flores, troque uma ideia com os vendedores para saber a que mais tem a ver com os pedidos que fará. Por lá também dá para tomar banho de pipoca, de alfazema, de folha, comprar cordões ou uma imagem de Iemanjá pra levar pra casa…

Praia da Paciência fica vestida de branco
(Foto: Reprodução Flickr Clarissa Pachecho)
 

Tradição é tradição: flores no balaio
Entenda logo de cara: só se pode dizer que foi à festa de Iemanjá se colocar pelo menos uma flor para a Rainha do Mar, na Colônia de pescadores. Uma é cinco, quatro por dez e assim segue a negociação com os vendedores que instalam suas banquinhas próximas à casa dos pescadores. Preste atenção: vale visitar o local em qualquer época do ano, independentemente da festa. 

Rosas são a principal oferenda entregue à Rainha do Mar
(Foto: Reprodução Flickr Clarissa Pachecho)

 

Para garantir a missão da parte sagrada da festa, faça isso logo na véspera. O clima é mais ameno e você não vai querer pegar uma superfila debaixo de um sol forte. Na noite do dia 1º já começa a se formar a fila para a entrega de presentes, mas muito mais light do que no dia 2. Com mais tranquilidade, também dá para fazer melhor suas preces e colocar os presentes (lembre-se: biodegradáveis) nas cestas que serão levadas pelos pescadores para o alto mar. 

Preparativos sagrados 
É emocionante ver o nascer do dia e acompanhar os filhos e filhas de santo saudarem Iemanjá na praia da Paciência. É ficar quietinho e contemplar os momentos de devoção e cânticos tradicionais do candomblé, iluminados pelas primeiras luzes da manhã. 

Ver o nascer do dia e os povos de santo chegando é um momento imperdível da festa: vale madrugar!
(Foto: Reprodução Flickr Clarissa Pachecho)

 

Barquinhos ao mar

Ao longo do dia 2, o movimento de preparação das oferendas não pára e tem seu ápice por volta das 16h, com a saída do cortejo para alto mar, onde os balaios serão depositados. Se tiver aquela prima rica dona de lancha, vale muito a pena acompanhar o cortejo. 

Alugue um barquinho para entregar o presente em alto mar
(Foto: Reprodução Flickr Clarissa Pachecho)

 

Se quer um momento mais tranquilo ainda para suas preces, ceda às ofertas dos barqueiros na beira da praia. Por R$ 10 ou R$ 15, eles te levam mar afora para jogar os presentes. É um dinheiro muito bem gasto! Do mar, é lindo ver o Rio Vermelho pintado de branco. A cena certamente ficará na sua memória por um bom tempo. 
 


O lado profano

Como toda boa festa popular de rua de Salvador, não falta música, bebiba nem cominda na Lavagem do Rio Vermelho. O circuito boêmio fervilha com a quantidade de visitantes que tomam as ruas do bairro. Preste atenção nos pontos onde uma passadinha é essencial. 

Làlà Multiespaço
Em 7 anos, a porta do Làlà, na Praia da Paciência, se tornou um dos pontos mais badalados da Festa. Da janela do casarão, artistas se apresentam para o público na rua. O Festival Oferendas começa à 0h do dia 2º.

Este ano, para evitar o tumulto entre os carros e o público aglomerado na rua, a festa começará à meia-noite. Em 2018, vão se apresentar por lá nomes conhecidos da nova cena musical baiana e brasileira, como Márcia Castro, Josyara, Iara Rennó, Larissa Luz, Nina Becker, além de Djs. O clima é bem de sarau… 

A porta do Lálá no dia 1º: é crowd, mas é gostoso
(Foto: Reprodução FacebookPaola Alfamor 2)

 

O evento é colaborativo e está com campanha de financiamento coletivo no Kickante para financiar além dos shows, o presente dos artistas, a novíssima tradição da festa.  Por volta das 3h da manhã, um cortejo sai do Làlà  em direção à Colônia de pescadores para entregar o presente confeccionado por artistas contemporâneos. Se tiver pique, acompanhe! 

Presente feito por artistas em 2017
(Foto: Reprodução Facebook Paola Alfamor 2)


Cortejo Afro
À meia-noite, o bloco percussivo Cortejo Afro, que agita o verão com seus ensaios e também no carnaval, desponta no Rio Vermelho. À essa altura o trânsito já está fechado e baianas e percussionistas conseguem levar mais facilmente o presente do grupo para Iemanjá, em um clima que mistura o sagrado e o profano. É, sem dúvidas, um dos momentos imperdíveis da véspera. Não estranhe se vir Caetano Veloso, Regina Casé e outros artistas no metiê. 

Cia da Pizza
Há 14 anos, a Praça Brigadeiro Faria Rocha, onde está a Cia da Pizza, recebe o Circuito RV, com apresentações musicais no dia 2 de Fevereiro. Por estar um pouco mais afastado da Colônia de Pescadores, o clima do local é mais tranquilo, mas muito animado. Em 2018, a partir das 17h, sobem ao palco Circo de Marvin, Funfun Dúdú e Nossos Baianos. Tudo grátis. 

Fonte do Boi
A Rua Fonte do Boi é outro local para comer, beber e ouvir música durante todo o dia. A maior parte do movimento começa logo de manhã, no dia 2, e segue com festas privadas nos diversos restaurantes do local. 

Por lá, a Midialouca, loja que é referência em música e cinema, costuma abrir os festejos na véspera, com um cortejo até a Praia da Paciência. No dia 2, às 16h20 acontece o show de show de Rafael Pondé, Dendê S/A e convidados e DJ Ian Nunes (Catuaba: A Festa - SP). Dê uma conferida. 

Enxaguada de Yemanjá
Em 2018, pelo segundo ano, Carlinhos Brown realiza um super show na Vila Caramuru, (antigo Mercado do Peixe). A festa começa ao pôr do sol, com um cortejo dos Filhos de Gandhi e segue com o Cacique recebendo convidados como Diogo Nogueira. Os ingressos estão sendo vendidos por R$ 60 (pista) e R$ 120 (área VIP). Mas se só quiser dar uma conferida, dá para assistir ao show da ladeirinha que dá acesso ao hotel Golden Tulip. Tudo bem que não é nada confortável ficar se “empendurando” por muito tempo, mas só pra dar aquela espiada, está valendo. 

Feijoadas pra todos os gostos
Como o baiano não vê problema em encher o bucho e depois sair andando debaixo de um sol forte, a feijoada também marca presença nas festas fechadas de 2 de fevereiro. Se você não gosta muito de multidão e prefere ter um lugar garantido para descansar os pés e usar o banheiro, pode ser uma boa opção. Mas mesmo assim, não deixe e dar um pulinho na rua para conferir. Se ligue:
 * Feijoada Yemanjá Prime: acontece no Red River Hostel, próximo à entrada da praia do Buracão. Além do bufê de feijoada, o evento vai contar com apresentações musicais e serviço de bar à parte (cerveja, refrigerante, drinks e água). Os ingressos custam R$ 89,00 (1º lote). 

* Feijoda de Iemanjá do Caballeros de Santiago: a festa de camisa tem localização privilegiada na Praia da Paciência. Na programação, bufê completo de feijoada e música ao vivo com a banda Som de 3. A camisa sai a R$ 80 por pessoa. Dia 2, a partir das 11h.

* A festa Yemanjá é Black será embalada pelo cortejo do Ilê Aiyê, a cantora de black music Denise Correia, banda Veia da Nêga, além da fusão de ritmos produzido pela DJ Bieta. O evento acontece bem no fervo: no tradicional Santa Maria Bar e Restaurante, no Largo de Santana (largo da Dinha). Os ingressos custam R$ 120 e dão direito àquela feijoada.

* Feijoada Du Vini: acontece nos restaurantes Cantina du Vini e Ko-Pha. Além do bufê, a festa terá  o  samba das bandas Bigg Samba e Resenha e VamoBB e um lounge animado por DJ. Dia 2, das 12h às 22h.  Entrada: R$ 90. 

Whatsapp

Galeria

Suba 100: mountain bike no Vale do Jiquiriçá
Pensou em praia? Veja algumas das mais bonitas
Ver todas as galerias

Eu fui!